*



*

Princípio da submissão

Não sou tua submissa porque Te amo.

Te amo porque sou tua submissa.


Amar Yasmine

*


Minha Alma

Eu amo minha alma despojada



Minha doce alma submissa



Minha alma que espera.. espera.. espera



Minha alma que espera quieta, subserviente e nua



Eu amo esta minha alma



Que de tão devassa e suja



Se torna pura



Amar Yasmine

*







12 de out de 2010

Noite




A noite se estende sobre meu corpo

A imaginar que sou feita de plumas

Eu digo que não venha pois

Quando muito sou um monte de espinhos

Quiçá raízes, folhas, cipós, galhos secos.

Eu penso que seu desejo

É tão somente descansar

Mas, ela vem e se aconchega lânguida

Deita atrás de mim e me prende em seus braços

Suas pernas me enlaçam a cintura

Seu sexo me invade as entranhas

E ela se faz de pura volúpia

Até que extenuada e liquefeita

Boceja, adormece e

Sossega dentro de mim.

E eu, lá, imóvel, sem sequer respirar

Até que o dia amanheça

Pra não interromper seu sono

Pois a noite também precisa descansar...

DEXPEX_{Amar Yasmine}

Um comentário:

{Λїtą}_ŞT disse...

Amada,

você bem sabe que gostaria de dizer algo bem cheio de pompa e circunstância que fizesse jus ao poema... mas quem sou eu?
Fiquei extasiada com os versos (dignos dos poetas mais iluminados e inspirados) e a música tocando junto... é de levitar.
É mais uma que deveria ir para a lateral, de onde se pode ler sempre.
E que a noite descanse...
Beijos meus.

{Λїtą}_ŞT

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails