*



*

Princípio da submissão

Não sou tua submissa porque Te amo.

Te amo porque sou tua submissa.


Amar Yasmine

*


Minha Alma

Eu amo minha alma despojada



Minha doce alma submissa



Minha alma que espera.. espera.. espera



Minha alma que espera quieta, subserviente e nua



Eu amo esta minha alma



Que de tão devassa e suja



Se torna pura



Amar Yasmine

*







29 de jul de 2010

Uma escrava cômoda ao DONO



O post de hoje tem a intenção de ser lembrado muitas vezes por quem o ler. Tomara que gere reflexões, discussões, conclusões. Não pretendo com ele ditar normas de comportamento submisso, só busco uma coerência entre aquilo que penso e aquilo que faço. Achei bom publicar aqui meus pensamentos, porque pode ser que ajudem a alguém, como eu, na busca da excelência no servir.

Embora Oscar Wilde tenha dito: "A coerência é a virtude dos imbecis", busco sim a coerência, a conformidade (não confundam com conformismo, por favor), a congruência. Mesmo sem saber se por vezes a alcançarei, minha busca será constante, em todos os meus pensamentos e atos.

Vejam bem, minha intenção não é a de atingir a perfeição, está claro como água para mim que, como humana, a perfeição jamais será atingida. Mas, isto não seria motivo para relaxamento, preciso chegar o mais perto possível. Pretensiosa? Pode ser. Ninguém pode me censurar por querer progredir, crescer, melhorar. Senão ficará meio que “sem sentido” a vida. Estamos aqui para aprender e aplicar na prática o que aprendemos. Estamos aqui para aperfeiçoar, aprimorar.

O que provocou este texto foi uma conversa com uma amiga querida. Ela falava coisas como: "se sentir abandonada pelo Dono", "falta da atenção e falta de explicação por parte dele". Estas situações que TODAS NÓS passamos vez por outra e que DOEM MAIS DO QUE QUALQUER TORTURA FÍSICA.

Verdadeiras provas de fogo para quem serve, o abandono, a falta de atenção e de explicação, tiram uma escrava do seu eixo de equilibro e a desorientam. Como sempre digo e repito, que venham todas as dores físicas acompanhadas do olhar sádico daquele que tem os nossos serviços... estes momentos são de prazer para ambos. Mas, é na hora da ausência que se sabe quem verdadeiramente serve. É neste instante de prazer unilateral, de absolutamente nenhum prazer para quem se submete.

Talvez, (eu disse “talvez”) quem Domina, vendo sua sub torturada fisicamente a seus pés, pense: "Que orgulho eu sinto por possuir esta escrava!"

Não, Senhor, não é esta a hora de se orgulhar. A hora de se orgulhar é aquela que o Senhor se afasta para resolver seus problemas, suas dificuldades na vida, e sabe que a escrava estará lá sozinha a lhe esperar... serena, tranqüila, de alma leve, sem questionar e, o mais importante, sem sofrimentos. Porque se sofrer, acabará se tornando um fardo.

Não pensem que não sinto problemas com a ausência, que não questiono no mínimo pra mim mesma. Sou como qualquer outra, sou insegura e sou frágil, ainda não desprendida de mim mesma. A diferença é que jamais levo até meu DONO nada além dos meus sorrisos de submissão, amor e desejos. Posso dizer isto de alma aberta porque é ELE o primeiro a ler meus posts no blog e, honesto como é, não me permitiria dizer algo que não consigo praticar.

Mas, a minha amiga sub reclamava sobre falta de atenção e eu respondia à ela que é o viver nesta "corda-bamba" que significa servir, quando ela me disse algo que me deixou atônita, confesso:

_Amar, é muito cômodo pro seu Dono ter uma escrava como você. Quem não haveria de querer uma escrava assim? Até eu, que sou sub, queria ter.

Pronto. À primeira vista doeu. Veio como um soco forte no estômago. Doeu muito. Me senti um nada. Insignificante. Pobre coitada da Amar que é tão boba e tudo faz para que seu DONO se sinta feliz, sem esperar nada em troca. Esta foi a minha primeira e rápida reação. Mas, durou pouco.

Pode parecer loucura, mas assim que penso ou sinto algo negativo, minha mente corre em busca da "Dona Coerência". E fui direto ao dicionário, hábito que tenho desde criança, fascinada que sou pelas palavras e seu significado real.

Olhem o que encontrei, que fascinante:

Cômodo: adj (lat commodu) 1 Que oferece comodidade. 2 Adequado, próprio. 3 Que oferece facilidades. 4 Favorável. 5 Tranqüilo. sm 1 Aquilo que oferece comodidade. 2 Agasalho, hospitalidade. 3 Aposento de uma casa; quarto, alcova. 4 Pequena habitação.

Comodidade: sf (lat commoditate) 1 Qualidade do que é cômodo. 2 Aquilo que contribui para o bem-estar físico; conforto. 3 Oportunidade, ocasião favorável. 4 Meio fácil de fazer ou de usufruir alguma coisa. 5 Bem-estar, regalo.

Regalo: sm 1 Prazer, especialmente de mesa. 2 Iguaria apetitosa. 3 Gozo material. 4 Presente ou mimo com que se brinda alguém. 5 ant Agasalho, geralmente de peles, em que as senhoras usavam trazer as mãos, para as resguardar do frio. 6 Rede de braços no aparelho de arrastar.

Ao encontrar estas definições me apoiei no encosto da cadeira e perguntei a mim mesma sorrindo:
_Não foi para ser tudo isto aí que você se tornou uma escrava, Amar? Não é isto que te faz pulsar e latejar???

Eu quero ser cômoda ao meu DONO sim. Quero dar comodidade a ELE. E quero ser um regalo em sua vida. Quero a exata medida de lhe dar todos os prazeres. Não quero jamais pesar em seus ombros. Não quero que se sinta obrigado a me dar explicações. Não quero deixá-lO constrangido em momento algum.

Eu quero sim ser cômoda ao meu DONO, trabalharei firme para ser cada vez mais cômoda, porque é pra isto que existo e porque ELE merece.

Não sou baunilha com sonhos de submissão, muito menos escrava só durante sessões. Sou uma escrava em seu sentido mais puro e real.

Só me resta agora agradecer à minha amiga que provocou minhas indagações, fazendo com que eu chegasse ao sorriso que ostento neste instante.

Obrigada, Amiga!


DEXPEX_{Amar Yasmine}

26 de jul de 2010

Puta de mel



O que está acontecendo comigo? Há dias que tudo em mim está mais sensível. Como nunca esteve. Mãos suando gelado, rosto afogueado, orelhas queimando, pele ardendo, couro cabeludo sem poder tocar.

As veias sobressaindo, em especial as do pescoço que, quando falo, parecem que vão saltar. Olhos muito brilhantes, percebendo os mínimos detalhes de cada coisa. Ouvindo muito mais do que o normal e com mais clareza. Sentindo mais os odores e com tato de cego. Uma secura na boca e na garganta... Total falta de apetite.

Não, não uso drogas, sequer bebo. A não ser um vinho de vez em quando. Mas, me sinto bêbada... ou drogada... sei lá. O peito apertadíssimo, parece não caber o coração enorme e enlouquecido lá dentro... que nem o sexo... latejando.

Sinto saudades de algo que ainda não vivi, mas que desejo intensamente viver. Estou fazendo justiça ao apelido de "puta de mel".

23 de jul de 2010

Eu quero o ato de servir completo



É muito fácil dar o corpo a torturas. Receber castigos. Dar a carne para ser amarrada, queimada com pontas de cigarro, perfurada por dezenas de agulhas, cortada em tiras pelo couro de um chicote, pela lâmina de um punhal, ou por um caco de vidro. Torturas que levam Dono e escrava ao delírio. Enchem o Dominador de orgulho pelo próprio poder, a escrava de orgulho pelas marcas, ambos de grande tesão. Não, não é sobre isso que quero falar. Quero falar sobre sobre o ato de servir completo.

Uma escrava não existe apenas para dar prazeres físicos. Ela precisa se sentir o descanso do Dono para as agruras da vida. Ela há de querer aliviar o peso de seus ombros. Precisa divertí-lo, faze-lo rir, fazer que Ele tenha esperança na vida, por mais árdua que a vida possa se apresentar.

É esta escrava que eu quero ser. Não somente a mulher vadia que provoca o gozo de todas as formas, mas a doce mulher que divide com o Dono toda sua dor e todo seu tormento. Aquela que o empurra pra frente quando a vida parece puxá-lo para trás. A que o descansa. O seu remanso.

Quero, sim, ser esta mulher. É esta a servidão que me fascina. A de estar ajoelhada para aliviar os pés do meu DONO quando eles estiverem cansados de andar. Beijá-los em meio a uma sessão, não é nada... isto é apenas prazer físico. Mas, descalçá-lo e, com a língua, aliviá-lo totalmente, fazer com que ELE mergulhe em algo macio, feche os olhos e durma. Eu desejo este servir completo.

Claro que é maravilhoso ser uma puta, adoro ser a puta do meu DONO. É delicioso estimular sua perversão. Mas, isto qualquer mulher pode fazer, nem precisa ser uma escrava, ou submissa. Isto não me basta.

E então me descubro. Descubro que tenho vontades. Que sou a puta que quer ser também o bálsamo. A depositária não só dos desejos, mas sobretudo das dores, dos anseios, das responsabilidades, das inseguranças, dos medos.

Aquela que o beija com amor devasso, com amor submisso, com amor acolhedor. Eu quero o ato de servir completo.

DEXPEX_{Amar Yasmine}

22 de jul de 2010

Desafio



Nestes dias de muita pressão pela perda do meu blog, algumas coisas muito boas me aconteceram. Uma delas foi a presença solidária das amigas submissas que foram incansáveis nos carinhos comigo.

Fizeram tudo pra me agradar e me tirar da tristeza. Me mandaram emails, torpedos, publicaram posts e comentários em seus blogs e nos das amigas. Enfim, tive a certeza de não estar só e nada pagará estas demonstrações puras de afeto e consideração.

Em meio a todas as demostrações uma foi especial, foi o "Desafio" feito pela {ÍsisdoEgito}JZ: a mim, de contar a todos seis (6) segredinhos meus.

Obrigada, amiga. Vamos lá!



1 - Adoro comer maçã com queijo

2 - Ver o dia nascer me deprime

3 - Ver o dia morrer me alegra

4 - Sou frustrada por não ser cantora lírica

5 - O que mais rápido me conduz ao orgasmo é ter as pernas abertas e ser olhada no sexo

6 - Eu queria de verdade ter nascido a filhinha devassa do meu DONO

Bom, desafio cumprido, resta agora indicar as sub e amigas que também contarão seus segredos. São elas:

-=Rebeca=-

lilica{D.E.}

{preciosa}_Sr.Dio

[{mila}]MAGNO


Obrigada, {ÍsisdoEgito}JZ

Doces besos a vc e a todas!


DEXPEX_{Amar Yasmine}

21 de jul de 2010

Sua cadela... seu refúgio



Senhor Dominador, sua cadela jamais deverá conhecer o que é uma desobediência, um desamor, um descontentamento. Muito menos o que é uma covardia. Ela deverá ser a sua salvação, seu refúgio das dores do mundo. Experimente se sentar sobre uma montanha com sua cadela a seus pés e verá que, de repente, tudo que sua visão alcança lhe pertence.

DEXPEX_{Amar Yasmine}

20 de jul de 2010

Morrendo em paz



Tudo é larva fervente
quando estou em tuas mãos...
e pulsas teso
“in” mim.
Coração acelerado,
respiração cortante,
olhares desvairados,
rítus de prazer
que nos deformam a face,
tua voz rouca a me chamar:
_PUTA!!!
E a bofetada forte
que explode na minha cara.
Te retribuo
com meu melhor olhar de amor e desafio
e, quando me viras de quatro,
minha voz mais indecente:
_É muito bom foder o rabo da tua filhinha,
meu DONO???...



Digo,
olhando pra trás,
com olhinhos muito doces
e o mais cínico
dos sorrisos que tenho,
aquele que não dou pra mais ninguém
porque só Tu sabes deter
os demônios que ele solta.
_QUIETA!!!
Meus cabelos,
rédeas
firmes em tuas mãos.
Teu cheiro,
teu gozo,
teu peso
desaba sobre mim.
Te descanso em minha boca...
Ai.. ai...
o gosto da tua porra quente!!!
Minha língua faminta
viaja no teu corpo...
e, insana,
tenta em vão te consumir.



Teus tremores,
teu gozo,
o meu.
O suor que nos cola ainda mais.
Gememos.
Gritamos.
Rugimos.
Quanta pureza!
Somos dois animais.
E, satisfeitos, morremos em paz!

DEXPEX_{Amar Yasmine}


As imagens foram um carinhoso presente da minha querida amiga {ísis}_MN. Ela disse que se lembrou imediatamente de mim quando as encontrou. Obrigada, linda menina do Mr. Nelson.

Te amo de todas as formas



Ao me aceitar como tua escrava,

me destes muitas formas de TE amar.

Com alegria eu aceitei todas.

Com despojamento tenho o privilégio de TE servir.


Sou tua e TE amo SENHOR DEXPEX

Como menina que ama seu Amor

Como mulher que ama seu Homem

Como súdita que ama seu Rei

Como puta que ama seu Macho

Como aluna que ama seu Mestre

Como masoquista que ama seu Sádico Dominador

Como escrava que ama seu Senhor

Como cadela que ama seu Dono

Como filhinha devassa que ama seu Pai


Em todas estas formas de amar e em tantas outras, quantas forem da tua vontade, TE amarei e TE serei devota, dedicada, fiel, leal, meu SENHOR. Para o teu deleite, a mais doce e vadia mulher que puder ser. Aquela que a TI tudo entrega. Aquela que em TI cegamente confia. Aquela que por TI qualquer coisa será, qualquer coisa fará... e, alegre, sempre TE esperará.

*sorrindo de olhos baixos*



DEXPEX_{Amar Yasmine}

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails