*



*

Princípio da submissão

Não sou tua submissa porque Te amo.

Te amo porque sou tua submissa.


Amar Yasmine

*


Minha Alma

Eu amo minha alma despojada



Minha doce alma submissa



Minha alma que espera.. espera.. espera



Minha alma que espera quieta, subserviente e nua



Eu amo esta minha alma



Que de tão devassa e suja



Se torna pura



Amar Yasmine

*







29 de jul de 2010

Uma escrava cômoda ao DONO



O post de hoje tem a intenção de ser lembrado muitas vezes por quem o ler. Tomara que gere reflexões, discussões, conclusões. Não pretendo com ele ditar normas de comportamento submisso, só busco uma coerência entre aquilo que penso e aquilo que faço. Achei bom publicar aqui meus pensamentos, porque pode ser que ajudem a alguém, como eu, na busca da excelência no servir.

Embora Oscar Wilde tenha dito: "A coerência é a virtude dos imbecis", busco sim a coerência, a conformidade (não confundam com conformismo, por favor), a congruência. Mesmo sem saber se por vezes a alcançarei, minha busca será constante, em todos os meus pensamentos e atos.

Vejam bem, minha intenção não é a de atingir a perfeição, está claro como água para mim que, como humana, a perfeição jamais será atingida. Mas, isto não seria motivo para relaxamento, preciso chegar o mais perto possível. Pretensiosa? Pode ser. Ninguém pode me censurar por querer progredir, crescer, melhorar. Senão ficará meio que “sem sentido” a vida. Estamos aqui para aprender e aplicar na prática o que aprendemos. Estamos aqui para aperfeiçoar, aprimorar.

O que provocou este texto foi uma conversa com uma amiga querida. Ela falava coisas como: "se sentir abandonada pelo Dono", "falta da atenção e falta de explicação por parte dele". Estas situações que TODAS NÓS passamos vez por outra e que DOEM MAIS DO QUE QUALQUER TORTURA FÍSICA.

Verdadeiras provas de fogo para quem serve, o abandono, a falta de atenção e de explicação, tiram uma escrava do seu eixo de equilibro e a desorientam. Como sempre digo e repito, que venham todas as dores físicas acompanhadas do olhar sádico daquele que tem os nossos serviços... estes momentos são de prazer para ambos. Mas, é na hora da ausência que se sabe quem verdadeiramente serve. É neste instante de prazer unilateral, de absolutamente nenhum prazer para quem se submete.

Talvez, (eu disse “talvez”) quem Domina, vendo sua sub torturada fisicamente a seus pés, pense: "Que orgulho eu sinto por possuir esta escrava!"

Não, Senhor, não é esta a hora de se orgulhar. A hora de se orgulhar é aquela que o Senhor se afasta para resolver seus problemas, suas dificuldades na vida, e sabe que a escrava estará lá sozinha a lhe esperar... serena, tranqüila, de alma leve, sem questionar e, o mais importante, sem sofrimentos. Porque se sofrer, acabará se tornando um fardo.

Não pensem que não sinto problemas com a ausência, que não questiono no mínimo pra mim mesma. Sou como qualquer outra, sou insegura e sou frágil, ainda não desprendida de mim mesma. A diferença é que jamais levo até meu DONO nada além dos meus sorrisos de submissão, amor e desejos. Posso dizer isto de alma aberta porque é ELE o primeiro a ler meus posts no blog e, honesto como é, não me permitiria dizer algo que não consigo praticar.

Mas, a minha amiga sub reclamava sobre falta de atenção e eu respondia à ela que é o viver nesta "corda-bamba" que significa servir, quando ela me disse algo que me deixou atônita, confesso:

_Amar, é muito cômodo pro seu Dono ter uma escrava como você. Quem não haveria de querer uma escrava assim? Até eu, que sou sub, queria ter.

Pronto. À primeira vista doeu. Veio como um soco forte no estômago. Doeu muito. Me senti um nada. Insignificante. Pobre coitada da Amar que é tão boba e tudo faz para que seu DONO se sinta feliz, sem esperar nada em troca. Esta foi a minha primeira e rápida reação. Mas, durou pouco.

Pode parecer loucura, mas assim que penso ou sinto algo negativo, minha mente corre em busca da "Dona Coerência". E fui direto ao dicionário, hábito que tenho desde criança, fascinada que sou pelas palavras e seu significado real.

Olhem o que encontrei, que fascinante:

Cômodo: adj (lat commodu) 1 Que oferece comodidade. 2 Adequado, próprio. 3 Que oferece facilidades. 4 Favorável. 5 Tranqüilo. sm 1 Aquilo que oferece comodidade. 2 Agasalho, hospitalidade. 3 Aposento de uma casa; quarto, alcova. 4 Pequena habitação.

Comodidade: sf (lat commoditate) 1 Qualidade do que é cômodo. 2 Aquilo que contribui para o bem-estar físico; conforto. 3 Oportunidade, ocasião favorável. 4 Meio fácil de fazer ou de usufruir alguma coisa. 5 Bem-estar, regalo.

Regalo: sm 1 Prazer, especialmente de mesa. 2 Iguaria apetitosa. 3 Gozo material. 4 Presente ou mimo com que se brinda alguém. 5 ant Agasalho, geralmente de peles, em que as senhoras usavam trazer as mãos, para as resguardar do frio. 6 Rede de braços no aparelho de arrastar.

Ao encontrar estas definições me apoiei no encosto da cadeira e perguntei a mim mesma sorrindo:
_Não foi para ser tudo isto aí que você se tornou uma escrava, Amar? Não é isto que te faz pulsar e latejar???

Eu quero ser cômoda ao meu DONO sim. Quero dar comodidade a ELE. E quero ser um regalo em sua vida. Quero a exata medida de lhe dar todos os prazeres. Não quero jamais pesar em seus ombros. Não quero que se sinta obrigado a me dar explicações. Não quero deixá-lO constrangido em momento algum.

Eu quero sim ser cômoda ao meu DONO, trabalharei firme para ser cada vez mais cômoda, porque é pra isto que existo e porque ELE merece.

Não sou baunilha com sonhos de submissão, muito menos escrava só durante sessões. Sou uma escrava em seu sentido mais puro e real.

Só me resta agora agradecer à minha amiga que provocou minhas indagações, fazendo com que eu chegasse ao sorriso que ostento neste instante.

Obrigada, Amiga!


DEXPEX_{Amar Yasmine}

17 comentários:

{Λїtą}_ŞT disse...

Amada,

com toda certeza este texto deveria ser lido à exaustão, se não para concordar, ao menos para refletir.
Não vou deixar aqui minha opinião sobre o exposto, até porque não quero também passar uma ideia de perfeição, nem mesmo a busca dela, imperfeita que sou. Procuro melhorar, apenas, a cada dia. Busco ser melhor para Ele. E se venho conseguindo, assim como no seu caso, só Ele pode dizer.
Reafirmo, contudo, o que sempre disse: se é para ser, que seja direito, que seja completo.
Tomei a liberdade de ir também ao dicionário para deixar aqui o significado de submissão:

sub.mis.são
sf (lat submissione) 1 Ato ou efeito de submeter ou submeter-se. 2 Disposição a obedecer. 3 Humildade. 4 Sujeição. 5 Humilhação voluntária. 6 Obediência espontânea.


Para o "nosso" contexto, a definição está muito aquém do real significado, pois creio que dentro dele caibam ainda muitas coisas. Entre elas, oferecer esta suave e aconchegante comodidade que você citou.
Como você mesma escreveu em uma outra postagem, referindo-se aos momentos de prazer físico, "isto qualquer mulher pode fazer, nem precisa ser uma escrava, ou submissa.
Concluo, portanto, concordando com toda a minha convicção, e sem de forma alguma tendo a pretensão de pensar que cheguei lá, mas de que é o que devemos sempre almejar.
Beijos meus, amada.

{Λїtą}_ŞT

{ísis}_MN ENTREGA E SUBMISSÃO disse...

Amada
passai dias como vc se refere.
Não sou comoda e nem acomodada
Sou submissa, sou uma Bondagista que ama servir, que ama as cordas
mas penso eu nos meus anos de entrega que as duas partes devem de ser recíproca,entrega mutua, pois não sendo não vale só a minha tem de ter a o Dominante, a sintônia, a harmonia de ambos no vínculo
ficar bem eu fico horrivel, mao se o meu Dono desaparece, pois além de ser submissa sou uma mulher de sentimentos sensíveis pelo facto de meu vínculo ter um oceanos no meio.
desculpe do meu desaparecimento, mas estive fazendo a reforma do blog e me tomou tempo além de outras coisas que vc tb sabe
beijos no seu coração
te voglio bene, bene
{ísis}_MN

{Malu}_MTONNY disse...

Minha linda e meu exemplo...
Como somos diferentes e nem por isso deixamos de nos admirar.
Sou intensa em tudo, na servidão e na rebeldia rs....então se meu dono some a tendencia é esfriar( meu caso), acho difícil manter algo forte sem a presença, ñ sei lidar com a falta, preciso do controle dele pq sem ele fico sem chão e direção.Nunca fiquei mais de 10 dias sem essa presença, grito, esperneio e faço bico rsrs, confesso estou longe de ser uma submissa como vc, te entendo e admiro, ainda estou engatilhando...mas tbm vejo q kda caso é um caso e o meu tbm mora pertinho...ñ posso ser exemplo, sou uma escrava q aflorou a 5 meses, aprendendo, caminhando e amando muito o meu dono, ainda bem q ele é paciente...amo vc minha amiga linda e perfeita aos meus olhos..bjs

princesaSr.WZ® disse...

Sem demagogia se há alguem que possa retratar a verdadeira submissão esse alguem é vc.Magnifico texto , é essa a essencia da verdadeira submissa , ser comoda,compreensiva, ser pratica e confortavel ao Dono.Caminhar ao lado dele, afastar-se quando o momento exige e esperar cam tranquilidade,parece loucura? ah parece mas quem pra quem não é submissa,beijos ternos.

candonguinha disse...

Oi Amar,

Gosto muito da maneira como vc escreve, concatena as idéias, e por isso acho que nos gostamos tanto. Tendo pontos em comum e tendo diferenças, de objetivos, de vivências, de muitas coisas.

Mas nos encontrando, eu sinto, na sinceridade, na autenticidade.

Concordo com vc que em relação à falta de atenção ser uma pova de fogo, e eu digo que eu não quero passar por ela, não estou pronta e nem estou disposta a ficar (HOJE, no atual momento da minha vida). Não me sinto diminuída com isso e acho que vc tb não me olha assim.

Contudo, jamais minimizaria nem arriscaria a pensar que vc passa por tal prova como um nada, um robô, um autômato.

Acho que vc tem seus propósitos, que graças a Deus parecem se encaixar com os do seu Dono, e está disposta a a melhorar, a se burilar, como bem explicou no excelente texto.

Eu desconfio um pouco dessas coisas de exemplo disso ou daquilo. Não, não desconfio de vc, porque sinto coerência em vc. Achei maravilhoso vc colocar a citação do Wilde, porque revela que vc conversa com vc o tempo todo.

(continua)

candonguinha disse...

Pensei que, a partir de um diálogo que mexeu com vc, vc foi atrás do significado das palavras, afirmou suas referências (o amor aos livros, à diversos autores, ao seu pensar e seu sentir)e, mais uma vez, concluiu o que faz sentido para vc.

Vc viu como eu não soube/não quis esperar e como estou me sentindo bem agora, apesar das dores e da sensação de fracasso, que no fundo acho uma bobagem, mas existe, inclusive por cobranças sociais reproduzidas no "meio".

Por isso, mesmo que o que faça sentido para vc não faça o mínimo para mim, porque eu seja limitada para isso ou porque as buscas de cada pessoa sejam individuais, eu te entendo MUITO quando te leio. E gosto.

Muitos e muitos bjos

{nanda}_FX disse...

Amar

o caminho da entrega e submissão é longo e por vezes permeado de dificuldades. Algumas, aceitamos, outra relevamos e aquelas que verdadeiramente mexem conosco, nos fazem refletir e transmutar pensamentos, idéias e conceitos.
Lê-la, em suas analises mais pessoais, pois tuas palavras por vezes soam como pensamentos que falam alto, nos fazem a todos que vivemos esta submissão refletir.
Mas o mais difícil é encontrar na submissão a certeza de ser este o caminho pretendido e por isso, seguir adiante, com todos os percalços que aparecem em nossa frente e que acabam por nos fazer cada vez mais submissa e entregue, se esta for realmente a opção de vida na qual desejamos...

Como sempre, ler vc, é como ler pedaços de mim mesma, de questionamentos que invariavelmente me assolam...

beijos

josie disse...

Amarzinha...Todos a meu ver, estao no BDSM para se sentirem felizes, realizados. Não me sinto feliz no descaso, abandono e falta de atençao, digo falta de atençao! e nao mimos, nao confudam...Acredito sim que uma escrava deve saber esperar. Aprendi também o que é uma ausencia provocada para fortalecimento e aprendizado de sua escrava ou quando é descaso,desprezo e falta de zelo pelo "Dono", desprezo para mim nao é compativel com o bdsm,. Sou fragil, insegura e nao sei lidar com abandono. Preciso sentir que sou querida por quem sirvo,que minha submissao tem valor sim, que sou seu objeto de prazer.Ficar a minga, sem sessão, cuIdado, dominio, sumplesmente murcho, vou secando, secando.....
Talvez seja minha forma de submissao, já que tem dominadores com tantos estilos diferentes. TE admiro por ser como vc é.Confesso, jamais conseguiria ter a visao que tem.

LORD FOLTER disse...

Ser cômoda ao seu Dono é um grande mérito, nunca o contrário...parabenizo-a por suas conclusões. Ler seu texto e perceber a entrega de uma verdadeira escrava me causou grande admiração e satisfação. Meus respeitos ao seu Dono e um bj respeitoso.

-=|яєßє¢α|=- disse...

Amada, Amiga, Adorada DEXPEX_{Amar Yasmine}!!!

Eu , a cada dia, venho aprendendo a ser cômoda. Este aprendizado é complicado, porque em alguns momentos misturo meus ensinamentos e vivências da vida baunilha àqueles "obstáculos" que nos aparecem e eles se tornam bem maiores do que realmente são.

Você me conhece há algum tempo, sabe muito sobre como penso e ajo , sendo Submissa. Sabe que já me revoltei, chorei muito, fiquei indignada, mas , também, sempre estive cômoda aos Dominadores que servi. Sempre pensei mais Neles, nos prazeres Deles. Esperar é uma situação que APRENDI e que hoje faço com prazer; antes via essa ausência do Dominador como indiferença, agora já a vejo como necessidade Dele, e porque não dizer , necessidade nossa também. É na ausência que sentimos falta e temos a certeza de que precisamos é Daquilo que não está tão próximo assim; é que aprendemos a valorizar ainda mais os momentos juntos e reconhecemos a verdadeira essencia de estar juntos em alma.

Ah! minha Amada, eu aqui escrevendo e ouvindo as lindas músicas do blogger...

Chorando, mas de emoção... (estou tão maria mole rs)

Obrigada por me fazer entender que sou cômoda e com muito Prazer disto!

Beijos Beijos Beijos

mary disse...

Amar queria ter essa serenidade que vc tem!! vc em sua submissão é admirável!!!!
parabéns

mary

mary disse...

Amar queria ter essa serenidade que vc tem!! vc em sua submissão é admirável!!!!
parabéns

mary

mary disse...

Amar queria ter essa serenidade que vc tem!! vc em sua submissão é admirável!!!!
parabéns

mary

¥ nyssa ¥...ÅS disse...

Oi, Amar,

Estava visitando seu canto aqui e adorei isso:
"Talvez, (eu disse “talvez”) quem Domina, vendo sua sub torturada fisicamente a seus pés, pense: "Que orgulho eu sinto por possuir esta escrava!"

Não, Senhor, não é esta a hora de se orgulhar. A hora de se orgulhar é aquela que o Senhor se afasta para resolver seus problemas, suas dificuldades na vida, e sabe que a escrava estará lá sozinha a lhe esperar... serena, tranqüila, de alma leve, sem questionar e, o mais importante, sem sofrimentos. Porque se sofrer, acabará se tornando um fardo."

No momento atual isso tem sido muito relevante para mim!

Posso publicar no meu blog, com os devidos créditos, claro!

Beijos

¥ nyssa ¥...ÅS disse...

Amar,

Obrigada por sua generosidade e carinho!

Beijos

João Paulo disse...

Amar você escreve muito sobre busca de melora e não demonstrar frustação em determinadas atitudes do DONO. Mas será que só a escrava busque a perfeição e o Dono não. Será que o Dominador não tem aquela curiosidade infantil de uma criança que quebra um relógio e depois quer ver como funciona. Se eu fosse um Dominador acharia fascinante desbravar a alma feminina tão inalcancável. Sim é de alma aberta que deve estar diante dele. "Não sorria se o coração chora". Dê sorrisos infantis de menina que são mais sinceros. aqueles sorrisos de quem sabe que vai ganhar um presente do pai. Mas não esconda tristeza. claro não fala se ele não perguntar. Bom são pequenas reflexões minhas. Eu um menino jovem demais e as inocente demais e com pouca experiência mas que acredita em uma relação baseada em sinceridade. A sinceridade com ternura é diferente de uma ação atrevida.
bjs

maria submissa disse...

Amar,
Estou nessa manhã toda lendo suas postagens, e essa tem um encanto especial não só pela forma como vc estruturou, buscando no dicionário a definição de algumas palavras, mas, principalmente, pela verdade que passa. Estar longe do Dono é a maior provação, e a maior prova de nosso pertencimento a Ele. Como cadela, fico à espera, indócil, mas serena e confiante.
Ah.. eu não tenho Dono nesse momento, viu? Se ler os meus textos entenderá, basta seguir a cronologia dos últimos.
Beijos doces, respeitos ao teu Senhor,
maria

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails