*



*

Princípio da submissão

Não sou tua submissa porque Te amo.

Te amo porque sou tua submissa.


Amar Yasmine

*


Minha Alma

Eu amo minha alma despojada



Minha doce alma submissa



Minha alma que espera.. espera.. espera



Minha alma que espera quieta, subserviente e nua



Eu amo esta minha alma



Que de tão devassa e suja



Se torna pura



Amar Yasmine

*







25 de set de 2010

Ainda sobre "Irmãs de Coleira"



Certamente você já leu o texto abaixo, que escrevi sobre "Irmãs de Coleira", para a comunidade "Confraria de Apoio as Cadelas - CAC". No entanto, penso que não me fiz clara a respeito do que sinto. Como toda mulher, será sempre mais fácil para mim a exclusividade na relação.

A exclusividade é a certeza de estar servindo a contento? É a garantia da felicidade do DONO por sua propriedade? Sinceramente, não acho. No mundo baunilha, ou no SM, ter mais de uma mulher é algo que povoa e seduz o imaginário masculino. Tanto pelo desejo de poder, quanto por estar gravado no DNA dos machos que é sua obrigação crescer e multiplicar a espécie, enquanto é obrigação das fêmeas ficar em casa cuidando da família.

Num primeiro momento, meu estômago vai revirar, meu coração vai disparar de medo, provavelmente chorarei muito. No entanto, de cabeça fria, pensarei: quando escolhi estar do lado oposto de quem empunha o chicote, quando descobri que me realizaria obedecendo, quando me deslumbrei com a submissão... neste momento já sabia o preço que teria que pagar por todas as delícias da minha escolha. E, se no baunilha já não fica bem se esquivar daquilo que dá prazer ao outro, no SM este comportamento é totalmente inadequado. Daí, levantar a voz, ou uma bandeira, contra a famigerada irmã de coleira, nem pensar.

Vocês me conhecem, sabem que mostro minha face aqui no blog e nos sites de relacionamento SM que frequento. Sabem que faço questão de falar sobre a minha entrega e servidão nos meus mundos familiar, profissional e social. Portanto, serei igualmente sincera ao responder a pergunta:

_Amar, vc gostaria de ter uma irmã de coleira?

_Claro que não, está louca??? _eu diria.

Mas... responderia isso de cabeça baixa, totalmente envergonhada, com voz quase inaudível, pq contrariar um desejo do DONO, na minha opinião, é algo inadmissível para uma escrava, ou submissa. Mesmo assim, tenho que admitir minhas fraquezas.

Não há nenhum demérito em almejar a exclusividade. Vamos trabalhar para te-la. Exclusividade é algo que se conquista, resultado de um trabalho árduo minuto a minuto. O que não podemos, não devemos, é manifestar nosso querer, seja ele qual for. Se escolhemos a submissão, a servidão, temos de ter a coerência de nos comportarmos como tal. Lá dentro do peito podem existir os ciúmes, a insegurança, o medo... já que somos humanos. O que não fica bem é querer apenas as benesses de uma escolha e ignorar o preço que há de se pagar para te-las.






Irmãs de coleira - A arte da convivência


Uma submissa está entrando em uma senzala
onde já existe outra sub há algum tempo.

O que deverá acontecer daqui pra frente?


Dez anos de BDSM e posso me considerar uma escrava afortunada. Tive relações intensas, que me ensinaram muito e contribuíram tanto para meu desenvolvimento como submissa, quanto para meu crescimento pessoal. Terminaram porque tudo tem começo, meio e fim, nada é eterno. Mas foram calcadas no respeito, na confiança e na ética. A prova disso são os laços de afeto que prosseguiram.

Seria hipócrita se dissesse aqui que não gostei de ser presenteada com exclusividade em algumas dessas relações. Gostei, claro, como toda submissa gosta. Me senti honrada em minha entrega e servidão. Mas, sempre recebi de alma, coração e braços abertos as irmãs de coleira que tive. Foi um privilégio o convívio sereno e delicado durante a relação. Maior privilégio ainda os sentimentos que tiveram continuidade após findarem as relações.

Estou certa que a postura do Dono é de suma importância. Em suas mãos está a responsabilidade pelo clima de harmonia, ou de competitividade. Já presenciei Dominadores que fazem questão de atiçar suas submissas umas contra as outras, a fim de assistir crises de ciúmes entre elas... Mas, quem sou eu para censurar.

No entanto, a responsabilidade não está apenas nas mãos do Dominador. As submissas, tanto a que chega quanto a que já está, têm de ser éticas acima de tudo. É fundamental uma postura de carinho e despojamento entre ambas.

Se uma deve ser aconchegante para que a outra não se sinta invasora ou "fora de lugar". A que chega, por sua vez deve ter além de tudo: tato, delicadeza, respeito para com os sentimentos ali já existentes e desenvolvidos ao longo do tempo da relação.

Boa vontade e o bom senso deverão reinar entre as duas, para que juntas trabalhem em paz, focadas no objetivo comum de ampliar a obediência, a quebra de barreiras, a expansão de limites, a entrega e a submissão ao Dono.

Se a ética não estiver presente, haverá competitividade (coisa feia de pessoas inseguras). Aí, por maior que sejam os cuidados do Dono, os conflitos acontecerão.
A irmã que recebe uma nova deve segurar a língua e não exibir as palavras bonitas que escuta do Dono, os mimos que já recebeu, muito menos descrever o prazer que ele tem ao tortura-la. Evitar expor a relação, cuidar para que a outra não sofra e inveje. Somos seres humanos, não podemos nos esquecer disso em momento algum. Infelizmente, nossos sentimentos muitas vezes ainda são pequenos, como a inveja e o despeito.

Assim também, a nova irmã deve se abster de contar os jogos de sedução em que foi envolvida para ali estar. Já vi submissas que estão chegando fazerem grande alarde sobre os momentos da conquista. Ora, sabemos que tem mais ciúmes quem já está na relação. Erroneamente, tanto quem chega, quanto quem já está, pensa que se o Dono buscou a outra submissa deverá ser por estar se sentindo insatisfeito. Ledo engano... No mundo SM, ou no baunilha, ter mais de uma mulher ao mesmo tempo povoa o imaginário dos homens. Então, já que é assim, para que despertar a insegurança? Qual é o benefício que há em ser feliz sobre a infelicidade da outra?

Será sempre muito útil que uma se coloque no lugar da outra para evitar confrontos. O que não queremos para nós, não devemos dar a ninguém. Também, deixar lá fora as vaidades e o orgulho, os dois são desnecessários numa senzala.

Por fim, com todo este cuidado, com toda esta delicadeza, o presente será um dia ouvir do Dono: Sou um Homem realizado e feliz, tenho escravas que se respeitam, se amam e tudo fazem para o meu prazer.


DEXPEX_{Amar Yasmine}



12 comentários:

alyna disse...

Oi
Amarula,

Vim aqui ler a loira - que aliás ficou maravilhosa na foto, só para variar - e comecei a ouvir uma música.

Lésa que sou, pensei: será que os gatos - estou dormindo numa casa que tem dois, lindos, pisaram em alguma coisa, tipo uma caixinha de música?

E assim começou, suave, o jazz que vc carinhosamente me avisou que tocaria aqui.

Numa manhã deliciosa, preguiçosa.

Bjos, bjos!

{Λїtą}_ŞT disse...

Amada,

o assunto tem vindo à baila ultimamente e você, como sempre, coloca aqui a coerência de quem entra em uma relação D/s para vivê-la de forma plena, sem os subterfúgios muitas vezes procurados para se justificar alguma coisa que incomoda.
Fecho o pensamento com você, pois com certeza sabe o que sinto, o que faria e o que faço.
O que me resta é te parabenizar por mais um momento iuminado.
Beijos meus,

{Λїtą}_ŞT

melissa disse...

Amar, como vai?

Olha, quando tive a minha primeira irmã de coleira entrei em sofrimento(aliás entro em sofrimento sempre, rs)
Sebe, eu já entrei na relação com meu Dono sabendo que Ele não oferecia exclusividade.Isso foi fundamental.Não houve embromação.
Só que, entre Ele não oferecer exclusividade, e, eu não ter ciúmes, são coisas bem diferentes.Pelo menos no meu modo de ver as coisas.
Mas sempre recebi com carinho as minhas irmãs de coleira.E com elas sempre aprendi muitas coisas.
Sempre coloquei em primeiro lugar o prazer do meu Dono. Isso facilitou muito as coisas pra mim que tenho a natureza possessiva.
beijos carinhosos.

{bðöyñ}Tr_LF disse...

Amada Amar,

Quando vi o título do teu post já imginei mais ou menos qual seria o conteúdo rs. Talvez por isso não li ontem, só hoje...estava me preprando psicologicamente. Como falei pra lilica, tudo que ela disse no post dela e tu também aqui no teu, é o correto. É a coerência como tu bem disse. Mas eu admito, envergonhada talvez, que ainda não sei lidar com isso. Não alcancei essa coerência. Mas com certeza textos como esse teu, como o da lilica ficarão guardados aqui dentro de mim, me ajudarão quem sabe a encontrar essa coerência entre mente e coração, entre a teoria e a prática, entre o que penso e o que faço...
Enfim mais uma fonte inesgotável de reflexão. Obrigado.
Beijosss carinhosos e ótimo fim de semana a ti..

Conde Vlad disse...

É por isso que eu tenho cada vez mais me afastando da curiosidade de querer conhecer esse mundo.

O Despreparo de pessoas que se dizem MASTER no assunto me desmotiva.

Um texto bastante elucidativo e que mostra bem o quanto há pessoas mesquinhas neste mundo de BDSM.

Abração.
Conde.

princesaSr.WZ® disse...

Vamos lá ao assunto sempre polemico , minha querida amar eu não concordo com vc quando diz “Exclusividade é algo que se conquista, resultado de um trabalho árduo minuto a minuto. O que não podemos, não devemos, é manifestar nosso querer, seja ele qual for”
Se existe dentro de mim algum medo ou insegurança com certeza será relatado ao Dono , isso se ele não perceber bem antes de mim (muito provável).Trabalhar pra ter exclusividade com um Dono poligâmico é uma tarefa alem de árdua totalmente infrutífera rs.Exclusividade se trabalha pra conseguir de marido e não de Dono, na minha opinião.
Pelo contrario acredito no trabalho de se modificar pensamentos e atitudes baunilha de posse em prazer mutuo.Seria no mínimo muito egoísta e nada submisso, que eu me negasse a aceitar por ex uma dorei dedicada e prestativa para as amarrações do Dono , ou uma masoca que goste de coisas que eu não dou conta como spanking com chicote longo, só por ciúme, sem pensar no prazer Dele.Eu não sou “ a perfeita” a completa , nem quero ser, acho que cada uma tem suas particularidades e anseios , e seria muita soberba ou delírio achar só eu bastaria a todos os desejos Dele.
Tem pessoas que pensam que faço isso por amor , outras já até disseram ser pra não “perder o marido” como se eu não tivesse saída, e eu adoro como as pessoas conseguem ser simplistas e obvias,como se tudo fosse assim tão fácil de entender , mas nunca pensam em submissão( que eu escolhi viver), prazer mutuo e cumplicidade.
Eu já tive muito ciúme, muito mesmo, e se agora convivo com isso com total tranqüilidade foi um trabalho muito bem feito pelo Dono, que soube administrar minhas neuras e inseguranças e conseguir que eu me tornasse a submissa que ele queria, e ser feliz. Hoje tenho alguns bons relacionamentos com irmãs de coleira, se bem que não concordo com o termo, nem sempre temos contato, minha submissão é DEle, e dela ou delas é assunto deles, Dono não exige nenhum contato, nem estimula e nem proíbe a coisa acontece naturalmente se tem que acontecer ou se temos empatia.
Mas é um longo caminho a percorrer do ciúme até sentir o prazer inenarrável de ver o tesão no olhar da outra para o Dono, eu gosto disso , tenho muito prazer nisso,
beijocas linda.

mary disse...

Amar,

o assunto em tela está em alta no momento, aliás sempre esteve... seu texto deveria ser lido por todas as sub que vivenciam essa situação, seja as que estão chegando agora, seja as que estão recebendo a irmã...

bjs

mary

Simplesmente -=|яєßє¢α|=- disse...

Amada linda,

Eita assunto difícil e, sem dúvida, é o pânico de qualquer Submissa.

Nós duas já conversamos muito sobre isso. Aliás você e Vita foram meu ponto de equilíbrio quando eu vivi essa situação. E saiba: de tudo o que eu passei naquela época, ficou apenas uma certeza - sou capaz de ultrapassar meus limites quando a entrega é verdadeira e plena.

Hoje eu sei que para meu Dono ser feliz, estou disposta a superar meu ciúme, a proporcionar tranquilidade para Ele viver o que deseja e como deseja, e me controlar no que diz respeito ao meu querer. Afinal, querer é uma coisa que não temos, né!

Desta forma, ressalto um detalhe nesse polêmico assunto: o que está em "jogo" não é se o Dominador terá ou não uma, duas ou quantas escravas for da vontade Dele, mas sim a maneira como isso acontece na relação. Se é o Dono quem decide tudo para a relação, por que não fazer tudo as claras com o objetivo de somar prazeres a todos os envolvidos? Se não for assim, vale muito a pena repensar a relação.

Outra coisa: Irmã de Coleira?'Ah! Pára. Esse termo sim que deveria mudar.

Boa semana a vc e ao Senhor DEXPEX.
Beijos carinhosos e abraços super apertados na loira mais linda da minha vida!

PS: Adorei as músicas da semana. Beijocas da Beca

[{mila}]MAGNO disse...

como sempre muito bom seu texto amar,
penso que respeito mutuo e maturidade ajudam muito.
ser submissa é escolha, logo s escolheu já sabe o que vem no pacote, e depoiis outra todo homem quer duas, sejam no SM ou no baunilha, mesmo que seja para uma não saber da outra rsrs é como voce diz, trazem isso no DNA.
mas focar o prazer talvez seja melhor que queimar neuronios pensando na solução do tema.

beijos

[{mila}]MAGNO

princesaSr.WZ® disse...

Oi lindona , nossa que delicia que vc gostou do comentário,e do video , gilberto gil e tudo né?fiquei muito feliz .E eu me sentirei muito honrada se vc postar no seu blog aproveitando o comentário sobre o assunto.No que eu puder ser util pode contar comigo .Dono leu antes de eu postar aqui e deu sorrisinho e ai falei pra ele do seu comentário ele deu um sorrisão rs.E princesa foi o nome que o Dono me deu assim que me encoleirou , eu nao sabia foi uma surpresa e eu disse mas Dono princesa é nome de cachorra, e ele respondeu a ideia é essa!cadela com pedigree !kkk, beijão

*yllenah* SM disse...

esse negocio de irmã de coleira realmente é o Ó.

Não sei porque cargas d'águas alguns dominadores insistem em fazer suas submissas passarem por isso.

bjos, querida

yllenah*

Ylied disse...

Ola!!
Gostaria de saber se pode me ajudar!!
Tenho uma namorada que gosta de ser forçada amarrada e arranha na hora do sexo, submissa!!Confesso que nao entendo isso, nao entendo ese prazer, porem sinto um prazer de fazer isso com ela.Gostaria de saber se pode me tirar algumas duvidas sobre BDSM!!???
email: ylied9791@gmail.com

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails