*



*

Princípio da submissão

Não sou tua submissa porque Te amo.

Te amo porque sou tua submissa.


Amar Yasmine

*


Minha Alma

Eu amo minha alma despojada



Minha doce alma submissa



Minha alma que espera.. espera.. espera



Minha alma que espera quieta, subserviente e nua



Eu amo esta minha alma



Que de tão devassa e suja



Se torna pura



Amar Yasmine

*







28 de jul de 2011

Lembranças...




Ontem acordei com um farfalhar de asas dentro do meu quarto. Ainda de olhos fechados pensei: deve ser um morcego – é comum receber a visita de vários animais que entram pela varanda do meu quarto, sobretudo morcegos. Abri os olhos e vi um bichinho encolhido no vidro da porta. Estava tão agarrado que à distância não dava nem pra identificar que animalzinho era.

Levantei e fui olhar de perto. Ai, meu Deus, era um beija-flor. Tão pequenino que não acreditei que pudesse voar e o bico parecia maior do que o corpo. Estava assustado, tremendo. Eu o peguei, coração batendo forte e o aconcheguei... Que delicia! Ele não esboçou nenhum movimento e aos poucos se acalmou. Então abri as mãos pra ver se tinha algum machucado e se as asas estavam inteiras. Ele estava perfeito.

Era de um tom azul noite, meio furta-cor, lindo. Os olhos pretinhos e brilhantes me olharam confiantes. Então, fui pra varanda pra soltá-lo e abri as mãos bem devagar, embora meu desejo egoísta fosse de mantê-lo pra sempre comigo. Ele ficou por um instante livre, porém quieto, talvez não acreditando que eu lhe dava o direito de ir... E voou para o abacateiro que tenho no fundo do quintal.

Antes que ele pousasse num dos galhos, minha vida me passou pela cabeça e eu chorei de saudades do amor possessivo da minha mãe.
Eu tinha menos de 10 anos e pensava olhando pra ela: "Deus, se um dia ela for embora eu não poderei mais respirar." Eu olhava pra minha mãe como se ela fosse Deus... Como viver sem a sua presença? Eu não admitia a vida sem ela.

Na adolescência as rusgas tão normais entre mãe e filha vieram.. Era natural o embate. Mas, não entendíamos, ela me queria perfeita e apenas pra ela. Quanto a mim, me sentia sufocada... E eu queria voar com minhas próprias asas.

Ainda adolescente me casei, tive filhos e compreendi finalmente este amor de mãe que, de tão imenso, peca. Aí o Tempo foi cruel e nos roubou o espaço que precisávamos para nos aconchegar de novo... E ela se foi me deixando perplexa diante do mundo.

Às vezes tenho pesadelos e neles eu chamo por ela. Imploro: "Mãe, não quero mais voar sozinha. Vem voar comigo!" Acordo sempre com a dura realidade que será inútil minha súplica. Dela apenas terei as lembranças, as lições, que agradeço ter recebido.

As recordações do amor desmedido e sufocante da minha mãe por mim são belas. Tão belas e essenciais que até hoje almejo um amor tão sufocante quanto o dela.

Saudades muitas daquele colo, daqueles ombros, daquele cheiro, daquela voz, da textura daquela pele, daquele olhar, daquele amor opressivo. O pequenino beija-flor, ontem no meu quarto, me trouxe lembranças da minha mãe.

DEXPEX_{Amar Yasmine}




As coisas e os animais são o que são e permanecem o que são. Mas o homem será o que ele decidiu ser. O seu modo de ser, a existência, é um sair para fora em direção à decisão e à automoldagem. Assim, a existência é um poder-ser e, portanto, é incerteza, problematicidade, risco, decisão, impulso adiante. Este impulso pode ser em direção à Deus, ao mundo, ao próprio homem, à liberdade, ao nada..

(Jean-Paul Sartre - Da Liberdade à Consciência)

7 comentários:

{umbra}_Ferrocinto disse...

Apenas te posso oferecer,mesmo que ele seja em pensamentos,o meu colo,o meu ombro e sobretudo....a minha amizade sincera...para ti!

Beijos ternos,minha amiga.

{Júlia}Domador disse...

Amar,

Me lembro de uma passagem assim mais ou menos na mesma idade que vc. Lembro de no colo da minha mãe ter colocado as mãos no rosto dela e ter dito: não quero que vc fique velhinha nunca! mas na cabeça de criança associava a velhice a morte.

Hoje eu a tenho perto de mim, com 87 anos. As vezes a olho ou penteio seu cabelo branquinho, mas o olhar dela é vazio, distante e isso me dá um nó, porque quando sinto falta de um colo vou pra perto dela, mas procuro não encontro o olhar amoroso de antes, apenas sinto o olhar fisíco e isso me dá uma tristeza... como eu queria rever nos olhos dela aquele olhar do amor incondicional que só uma mãe é capaz de dar... lembranças e saudades tem tantas formas estranhas de as sentir... me emocionei com seu beija flor...

Bom, chega de tristeza...

Um ótimo fim de semana e que as lembranças sejam sempre de doçura...

bjjuussss

§ яєßє¢α de O AMO § disse...

Amada,

Estive aqui ontem ... como eu te falei, e não consegui escrever. Hoje a mesma coisa. Estou emocionada demais com seu texto, e agora também com a palavras da linda Julia.

...

Eu te dou o colo, o beijo, o abraço, a minha amizade incondicional ... vc bem sabe disto!

Te ADORO

Ah! Pegue o texto que você quiser no Simbiose BDSM. Lá tb é tua morada, palavras do Dono e minhas.

Mais beijos

Anônimo disse...

Querida Amar

Não pude deixar de me emocionar com esse pequeno animalzinho lhe fazendo uma visita.
Sabe amiga, qdo perdi meu marido de uma doença que maltrata até fazer de nós pedintes pela morte tb, eu egoísticamente, me recusei em dar suas roupas, suas coisas. Tinha medo de mexer naquelas coisas, sabia que ia me fazer sofrer. Um dia um beija flor me apareceu na janela do oitavo andar do meu AP, e todo dia ele vinha, sempre no mesmo horário. Foram tantas as vezes que eu cheguei a por o nome do meu marido nele, claro que no diminutivo, afinal era tão pequenino.
Uma certa noite, sonhei com meu marido me dizendo que eu desse suas coisas pq alguém certamente estaria precisando e adivinha quem batia as asinhas ao redor dele no sonho?
Ele mesmo amiga, um pequenenino e lindo beija flor.
A patir daí não tive dúvidas, remexi aquele armário e dei tudo e para minha surpresa, meu amiguinho da janela, de todos os dias, nunca mais apareceu....
Seu post lindo e de uma sensibilidade contagiante me fez lembrar dessa passagem,e eu queria compartilhá-la com vc pois sei que só pessoas especiais como vc entenderia a beleza desse momento, assim como foi o seu com seu animalzinho.
Quem sabe mamãe não veio lhe ver e lhe trazer o afago que vc merece? quem sabe amiga?
bjs meus
yaffa de LEON

MrZ disse...

Obrigado pelo comentário e pela ilustre visita!

{Λїtą}_ŞT disse...

Oi Amar, vim trazer uma mensagem do meu Dono:

Cara submissa, venho agradecer sua atenção pela passagem do meu aniversário e seu especial carinho para com minha vita. Beijos e saudações ao seu DONO.
ST


Beijos.

{Λїtą}_ŞT

SrtA. L. disse...

Querida Amar...
Seu post me emocionou ao extremo, pois ha pouco perdi Mamae e isso e dolorido por demais...
Agradeco seu carinho para comigo...e te retribuo em palavras de oracao para que acalmes teu espirito...
Adoro vir aqui, sempre com mensagens que nao servem so para as submissas, mas para todas pessoas belas de alma como tu...e um blog que transmite uma paz pouco vista na blogosfera...pois ele reflete quem o escreve, um ser sublime de alma e coracao, enfim...
Beijo carinhoso...e me desculpe o sumico, nao tenho conseguido voltar a viver como antes...parece que falta um pedaco de mim...
;)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails